domingo, 29 de junho de 2008

... ela consegue ser feliz em meio à toda essa poluição, barulho e violência...

O trânsito não a incomoda.
Então, comemora com um sorvete. O seu preferido.
Só quem a conhece saberia entender.

Tem muito a dizer, mas prefere calar-se. Eles não precisam saber.
Eles não se interessam.
Muito menos ela.

Ela tem o seu diferencial.
Eles sabem disso. Todos eles.
Mas eles preferem fingir que não.

Não está sozinha.
Se garante, é confiante.
Ela consegue rir num momento que parece ser tão difícil e inseguro.

É enigmática. Misteriosa.
E encontra segurança, mesmo mostrando-se tão indiferente.

É estranha? Esquisita? Mas quem não é?
É diferente? Ainda bem.

Ela é guerreira. Ao mesmo tempo indecifrável.
É sincera, não engole hipocrisia.
É sensível, mas não demonstra. Só para quem souber distinguir seu olhar.
São poucos. Mas eternos.

Ela tem amor. E comemora à vida. A todo momento.
Vai brindar. Com quem muito lhe interessa.
Brindar à vida, à honestidade, ao bom caráter, à decência...
à esperança.
E é isso que a mantém. Entre outras coisas...

4 comentários:

Ana Barros disse...

o povo quer saber: quem é ?
a mulher maravilha ? rsrsrs
bjos

De disse...

Se te contar que sou eu (delirada pela própria)vc acredita???
Pedi para o amor ler e ver o que achava. No final ele afirmou: Essa é você! Adorei."
Dei uma viajada, mas desabafei. Não sei se deu para entender..
Bjoooo.

Ana Barros disse...

Claro que deu pra entender ! E acho o máximo que vc seja assim !!! :-)
Também adoro ser alto-astral, mas às vezes o dia a dia nos atropela, né ?!
Super beijos

Ana Barros disse...

Aliás, tá de férias ?! Que delícia !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!